Avanços na produção de aço e minério de ferro

25

Entre as empresas controladas, a Mineração Usiminas encerrou o quarto trimestre de 2020 com um Ebitda Ajustado de R$ 958 milhões, aumento de 48,7% em relação ao 3T20 (R$ 644 milhões), também recorde histórico. Já a margem Ebitda Ajustado da Musa foi de 67,8% no quarto trimestre do ano passado, contra 57,6% no trimestre anterior (3T20). No fechamento do ano, o Ebitda Ajustado da Mineração Usiminas alcançou R$ 2,2 bilhões no ano passado, nova máxima histórica para esse indicador, representando um aumento de 196,7% quando comparado à 2019 (R$ 740 milhões). Ainda no consolidado do ano, a margem Ebitda Ajustado foi de 57% em 2020, contra 37,2% em 2019.

No que diz respeito à produção, a Musa contabilizou 2,2 milhões de toneladas de minério de ferro produzidas no quarto trimestre de 2020, uma ligeira redução de 3,4% quando comparada ao 3T20 (2,3 milhões de toneladas) e alta de 9,6% em relação ao igual trimestre de 2019 (2 milhões de toneladas). No consolidado do ano, a Musa encerrou o período com um volume recorde de produção. Foram 8,7 milhões de toneladas produzidas em 2020 contra 7,4 milhões de toneladas no ano anterior, uma elevação de 18,2% comparada à produção de 2019.

- PUBLICIDADE -

Com relação às vendas no quarto trimestre, o volume atingiu 2,3 milhões de toneladas, estável em relação ao trimestre anterior (3T20). No consolidado do ano, a empresa registrou um novo recorde anual em 2020, com um volume de 8,7 milhões de toneladas vendidas, 0,8% acima de 2019 (8,6 milhões de toneladas).

A Musa contabilizou R$ 208,8 milhões em investimentos no ano, aplicados, principalmente, no projeto de empilhamento a seco (Dry Stacking). Uma iniciativa já em fase de implantação que vai permitir à empresa passar a operar, ainda neste ano, sem o uso de barragens convencionais. Os investimentos em 2020 foram 59,7% superiores aos do ano de 2019 (R$ 130,8 milhões). No 4T20 o Capex totalizou R$ 76,9 milhões, ante os R$ 47,6 milhões registrados nos três meses anteriores (3T20), um aumento de 61,7%.

Na Unidade de Siderurgia, a produção registrou altas relevantes no quarto trimestre. Foram 760 mil toneladas de aço bruto produzidas na Usina de Ipatinga no quarto trimestre de 2020, uma alta de 9,2% em relação ao trimestre anterior (3T20), quando foram produzidas 696 mil toneladas. A produção de laminados nas Usinas de Ipatinga e Cubatão totalizou 1.143 mil toneladas no quarto trimestre, contra as 801 mil toneladas produzidas no trimestre anterior (3T20), um aumento de 42,7%, reflexo dos esforços da companhia para atender a demanda interna.

No consolidado do ano de 2020, a produção de aço bruto na Usina de Ipatinga foi de 2.760 mil toneladas, inferior em 15,4% no comparativo com 2019, quando foram produzidas 3.264 mil toneladas. Ainda no consolidado do ano, a produção de laminados nas Usinas de Ipatinga e Cubatão totalizou 3.695 mil toneladas, uma redução de 9,1% quando comparada com 2019 (4.064 mil toneladas), resultado das medidas de adequação de produção necessárias para enfrentar a queda de demanda registrada no início da pandemia da Covid-19. A empresa ressalta ainda os esforços adotados para adequar sua produção à retomada da demanda, visto que o volume de produção de laminados totais no quarto trimestre, de 1.143 mil toneladas, foi 69,1% superior ao registrado no segundo trimestre de 2020, de 676 mil toneladas.

Foco no mercado interno

No quarto trimestre do ano passado, as vendas totais da Unidade de Siderurgia somaram 1.133 mil toneladas de aço, alta de 21,4% em relação ao terceiro trimestre (934 mil toneladas), o maior volume de vendas trimestral dessa Unidade desde o quarto trimestre de 2015. Do total, 96% das vendas foram para o mercado interno e 4% para exportações, resultado dos esforços da companhia para atendimento de seus clientes locais.

No consolidado do ano de 2020, as vendas totais somaram 3,7 milhões de toneladas de aço, um recuo de 9,3% em relação a 2019 (4,1 milhões de toneladas), refletindo o impacto da pandemia da Covid-19 na demanda de aço, principalmente no segundo trimestre de 2020. No ano, 89% do volume de vendas foi destinado ao mercado interno e 11% às exportações.

Outras Unidades de Negócios

Na Soluções Usiminas, que atua no mercado de distribuição de aço, serviços, fabricação e venda de tubos de pequeno diâmetro, o Ebitda Ajustado foi de R$ 137 milhões no quarto trimestre, 126,4% superior ao registrado nos três meses anteriores (R$ 61 milhões), máxima histórica de Ebitda em um trimestre. A margem Ebitda Ajustado foi de 10% no 4T20, contra os 5,7% do terceiro trimestre. A receita líquida no quarto trimestre totalizou R$ 1,4 bilhão, alta de 29,3% em relação ao trimestre anterior (R$ 1,1 bilhão), a maior da história da empresa, devido ao maior volume de vendas em 14,5%, também recorde para a Unidade, e maiores preços praticados.

Na Usiminas Mecânica, o Ebitda Ajustado no quarto trimestre ficou negativo em R$ 16 milhões, contra os R$ 52 milhões negativos do trimestre anterior (3T20), refletindo o processo de reestruturação da empresa. No acumulado do ano, o Ebitda Ajustado totalizou R$ 145 milhões negativos, R$ 129 milhões inferior ao registrado em 2019 (R$ 16 milhões negativos).

Outros destaques

O quarto trimestre do ano passado marcou também outros avanços importantes da companhia. Em 17 de dezembro, o Conselho de Administração da Usiminas aprovou o retorno da operação do Alto-Forno 2 da Usina de Ipatinga, previsto para o próximo mês de junho, com um investimento estimado de R$ 67 milhões. O retorno do AF-2 está em linha com o compromisso da Usiminas com a geração de resultados sustentáveis, bem como com os esforços permanentes da companhia para atendimento da demanda de seus clientes do mercado interno.

Na mesma data, o Conselho de Administração aprovou, também, a venda do edifício-sede da empresa para a Fundação São Francisco Xavier, instituída pela Usiminas em 1969 e com atuação nas áreas de Saúde e Educação. O prédio será ocupado pelo primeiro hospital da Fundação em Belo Horizonte, reforçando o legado da companhia para a capital do Estado.

O ano de 2020 marcou, ainda, o aprofundamento da agenda ESG (sigla em inglês para Governança Ambiental, Social e Corporativa) na Usiminas. Entre diversas outras iniciativas na área, a empresa vem acompanhando os temas que compõem sua matriz de materialidade da agenda sustentável por meio de indicadores. Como parte da estratégia de atuação, a empresa se comprometeu, também, a contribuir com os 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável, bem como com os 10 princípios do Pacto Global das Nações Unidas.

Enfrentamento à pandemia

Desde o registro dos primeiros casos de Covid-19 no país, a Usiminas vem adotando diversas medidas de prevenção à doença e proteção de seus colaboradores e de apoio às comunidades. Ao longo do ano de 2020, a companhia investiu, por meio da Fundação São Francisco Xavier, cerca de R$ 27 milhões nessas iniciativas. A FSFX é o braço social da companhia nas áreas de Saúde e Educação, responsável pela gestão de cinco unidades hospitalares instaladas em cidades de Minas Gerais e em Cubatão. São hospitais referência para 35 municípios do Leste de Minas e para a Baixada Santista, com parte expressiva dos atendimentos dedicada a pacientes do SUS.

Os recursos foram destinados, entre outras iniciativas, para a aquisição de novos respiradores mecânicos, instalados em um andar inteiro dedicado a pacientes do Coronavírus no Hospital Márcio Cunha, de Ipatinga; novos leitos de UTI e equipamentos diversos. Foram direcionados recursos também para ações como a doação de alimentos para comunidades socialmente vulneráveis, de 150 mil máscaras de proteção para colaboradores, familiares e comunidades e para a higienização de espaços públicos com grande circulação de pessoas em Ipatinga e Cubatão.

Sobre a Usiminas

 

A Usiminas é líder no mercado brasileiro de aços planos e um dos maiores complexos siderúrgicos da América Latina. A companhia conta com unidades industriais e logísticas localizadas em seis estados do país e está presente em toda a cadeia siderúrgica – da extração do minério, passando pela produção de aço até sua transformação em produtos e bens de capital. Possui, hoje, o maior e mais inovador Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em siderurgia da América Latina. O avanço registrado pela siderúrgica nos últimos anos garante inovação, tecnologia e qualidade em todas as linhas de produção, e permite à empresa oferecer ao mercado um portfólio diversificado, com destaque para produtos e serviços de alto valor agregado. Por sua gestão ambiental, a Usiminas foi a segunda siderúrgica do mundo certificada com a ISO14001, gerando maior produtividade com menor consumo. A companhia contribui ainda para o desenvolvimento das comunidades onde atua, por meio do Instituto Usiminas e da Fundação São Francisco Xavier, oferecendo projetos nas áreas de saúde, educação, cultura, esporte e desenvolvimento social. As ações da Usiminas são negociadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque (ADR nível I) e Madri.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui