Com apoio da PMI, produtores de queijo adquirem regularização sanitária do IMA

209

Extensionista de Bem-Estar Social da Emater, Alessandra auxiliou a produtora Irinéia durante o processo para garantir regularização sanitária do IMA

CRÉDITO: SECOM/PMI

Casal é pioneiro, na zona rural de Ipatinga, em licenciamento de produtos para comercialização no Estado

Dono de uma propriedade rural há mais de 15 anos, localizada no Córrego dos Lúcio, na região do Ipaneminha, o casal Jamil Delfino dos Santos Júnior e Irinéia Pereira Fortunato Delfino tem muitos motivos para comemorar, neste fim de ano. Isso porque, com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdetur), por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), eles foram os primeiros produtores rurais em Ipatinga a conseguirem a regularização sanitária do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

A partir desta regularização sanitária e já com seu cadastro oficializado no IMA, as agroindústrias e os produtores rurais que trabalham com produtos de origem animal obtêm um prazo de dois anos para adequar sua produção às normas da legislação sanitária, desfrutando do registro como produto inspecionado, explica a Extensionista de Bem-Estar Social da Emater, Alessandra Araujo Vasconcelos Freitas

“Nesse período, as agroindústrias são acompanhadas por técnicos do IMA, que orientam e assessoram estes empreendimentos para que possam obter seu registro definitivo como estabelecimento inspecionado pelo Instituto”, acrescenta. Alessandra lembra que durante esse acompanhamento e adequação as agroindústrias e produtores rurais podem continuar produzindo com a supervisão do Instituto.

De posse da regularização, Júnior e Neia, como o casal é conhecido, ganhou o direito de comercializar em âmbito estadual os queijos que produzem. Eles ressaltam que isso é importante porque assim o negócio não fica descapitalizado.

“Vamos continuar evoluindo no atendimento das normas, adequando tudo o que foi solicitado, e sabendo desde já que nossos padrões de qualidade têm o aval do organismo estadual. Agradecemos muito à administração municipal pelo apoio fundamental que nos foi dado por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo e da Emater. Se não fosse a consultoria prestada por eles e também o encorajamento visando o nosso crescimento, nós talvez não tivéssemos conseguido nos adequar e obter essa regularização. Agora já criamos uma logomarca, um rótulo e vamos comercializar nosso produto em supermercados e outras lojas do ramo, na região e em todo Estado”, contaram agradecidos os produtores.   

Produção

A produção de queijo do casal teve início com a ideia de tornar o sítio autossustentável. Inicialmente, quem colocou a mão na massa foi a Irineia, que começou a fazer queijo de forma caseira e depois tomou gosto pela produção e se especializou.

“Os primeiros deram totalmente errado. Depois fui acertando, fazendo para presentear amigos e familiares. Com o passar do tempo, fui me especializando através de cursos, avançando nos módulos, e hoje temos essa produção em grande escala”, contou Irineia.

Há três anos na atividade e detentor da marca “Empório da Serra”, hoje o casal fabrica queijos dos tipos parmesão, meia cura (o carro-chefe), com ervas, frança, requeijão, frescal, e também doce de leite e iogurte.

 

Turismo rural

O secretário Luis Henrique Alves explicou que a prefeitura tem buscado cada vez mais recursos para capacitar e especializar os produtores rurais da zona rural de Ipatinga, e incentivando também o fomento do turismo rural, que é um segmento turístico que associa a vivência do cotidiano ao modo de produção rural, ao lazer à visitação e valorização do meio ambiente.

 

“Fizemos uma visita recente com alguns desses produtores, em parceria com o Sebrae, à cidade de Venda Nova do Imigrante, no Estado do Espírito Santo, que é referência em todo o país como berço do Agroturismo. Em Ipatinga foi feita uma consultoria, e a partir daí nós criamos um roteiro turístico, que é o Ipatinga Rural. O roteiro dá a oportunidade dos turistas conhecerem a nossa zona rural e ali desfrutarem de muitas atrações e atividades. Daqui por diante queremos incentivar ainda mais esses empreendedores a investirem em suas propriedades, para se destacar em seu ramo e movimentar a economia rural”, adiantou Luís.  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui