Comissão de Defesa do Consumidor recebe pais insatisfeitos com pagamento de mensalidades do curso de medicina

70

Com aulas teóricas pelo sistema remoto e práticas suspensas, Univaço mantém cobrança integral de seus alunos

- PUBLICIDADE -

A vereadora Cassinha Carvalho – presidente da Comissão Permanente de Abastecimento, Indústria, Comércio, Agropecuária e Defesa do Consumidor – participou na tarde desta quinta-feira (23) de uma reunião com pais de alunos do curso de Medicina na Univaço Ipatinga. Contando também com representantes da OAB e do Procon, o debate no plenário da Câmara Municipal teve como objetivo chegar a um consenso sobre uma pauta de negociação com a faculdade, cujas aulas presenciais foram suspensas em decorrência da pandemia de coronavírus.

Para manter os alunos em atividade, a Univaço adotou o sistema de aulas remotas, por meio de uma plataforma online, em substituição às aulas presenciais. Entretanto, parte da carga horária dos estudantes é composta por aulas práticas e estas não estão sendo ministradas no atual momento. Alunos dos últimos períodos do curso, que encontram-se na fase do internato rural, chegaram a ter seus estudos totalmente paralisados.

Alguns pais relataram durante a reunião que chegaram a solicitar descontos nas mensalidades, porém, tiveram seus pedidos negados pela faculdade. Eles então formaram o grupo para que pudessem ter mais força numa possível negociação com a Univaço. 

“O conteúdo passado nessas aulas à distância não é satisfatório. Segundo minha filha, a qualidade do aprendizado é inferior e muitas vezes não tem continuidade”, afirmou Carlos Antônio Pereira, cuja filha cursa o 3º período.

Os estudantes reclamam que, além da queda na qualidade do ensino, as mudanças feitas na grade curricular nos últimos semestres se tornaram um empecilho para que tranquem suas matrículas. “Estou tendo apenas aulas teóricas de forma remota e a qualidade não é a mesma, sinto falta das aulas práticas. Avisaram que as provas começam semana que vem, mas não deram mais informações sobre como acontecerão estas avaliações. E pior, não posso nem trancar minha matrícula, pois se eu trancar terei que voltar para o primeiro período devido às mudanças na grade”, desabafou a estudante Laura, que está no 5º período. 

Apoios institucionais

Na tarde desta quinta-feira, os pais entraram em acordo sobre uma pauta de reivindicações que será apresentada à faculdade nesta sexta, quando devem participar de uma reunião com representantes da Univaço. Anteriormente, eles já haviam encaminhado outro documento com vários pedidos à instituição de ensino, mas ainda não obtiveram retorno.

Estiveram presentes na reunião na Câmara o secretário municipal de Segurança Pública e Convivência Cidadã, Ednilson Emerique Caldeira, e a diretora do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), Sandra de Melo. Eles prestaram vários esclarecimentos aos pais sobre as leis, portarias e normas vigentes sobre o tema e colocaram suas instituições à disposição para uma possível mediação nas negociações com a Univaço.

A vereadora Cassinha também colocou a Comissão de Defesa do Consumidor à disposição dos pais de alunos da Univaço. “Estamos aqui para contribuir, para somar. Este é um momento muito difícil que todos estamos passando. Temos aqui vários pais que são empresários, comerciantes e que estão com seus negócios totalmente parados. Entendemos também a situação da faculdade, que continua pagando seus professores e funcionários, além de terem muitas outras despesas. Então é preciso um consenso, um acordo. Nos colocamos prontos para ajudar no que for preciso e a Câmara também está aberta para todas as partes”, afirmou a parlamentar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui