Criadora da escultura ‘Millenium’ revitaliza obras que ornamentam espaço público

231

Conforme a artista plástica, a decisão de alterar a cor das obras de arte de bronze para branco facilita a manutenção das peças e também assegura mais sofisticação às esculturas

- PUBLICIDADE -

A escultura ‘Millenium’, concebida pela internacional artista plástica Vilma Nöel e que ornamenta estrategicamente um canteiro gramado junto à BR-381, na entrada do bairro Iguaçu, recebeu no último fim de semana uma nova cor, fato que tem chamado a atenção de muitos que passam pelo local. Do bronze, peças as expostas no local passaram para o branco. Segundo a criadora das obras de arte, “a mudança se fez necessária para haver um contraste entre o verde e a escultura. Além do mais, o branco é a reunião de todas as cores e faz menção à pureza. Outro fator primordial que considerei no momento da transformação é que a cor branca é de fácil manutenção. Não me resta dúvida de que essa nova tonalidade deixou a peça mais chique, mais contemporânea”, comentou.

A decisão de pintar o monumento central, que tem dez metros de altura, bem como as peças acessórias, foi da própria escultora, que procurou a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer para informar sobre a alteração de cor e buscar parcerias para realizar outras intervenções de melhorias nas obras.

Além da escultura ‘Millenium’, no local há outras oito peças da coletânea dispostas no gramado e que foram igualmente pintadas. Algumas das esculturas que também fazem parte do conjunto da obra foram remanejadas para as proximidades do Shopping do Vale do Aço.

Parceria

O gerente da Seção de Patrimônio e Incentivo a Cultura da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, Thiago Vaz, conta que a obra ‘Millenium’ é um dos itens que foi recentemente incluído no processo de inventário do município, um dos instrumentos de proteção do patrimônio cultural previstos na Constituição Federal ao lado de outros como o tombamento e registro.

“A Prefeitura de Ipatinga, por meio da Secretaria, vem realizando um novo processo de atualização e revisão dos inventários e tombamentos de vários patrimônios históricos e culturais do município, visando sua valorização. E as obras de arte da Vilma fazem parte deste pacote”, explicou.

Com a iniciativa, o Executivo municipal pretende preservar, por meio de políticas públicas de preservação cultural, a memória, a tradição e a identidade de pontos turísticos da cidade, históricos, artístico, arquitetônicos e urbanísticos. Além de atender às exigências do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG), através da Normativa 06/2018 do CONEP, e assim melhorar sua pontuação no ICMS Patrimônio Cultural para o exercício de 2020.

“Essa administração entende a necessidade de preservar a identidade da nossa região. Enquanto o tombamento normalmente salvaguarda bens considerados notáveis, o inventário tem um alcance mais amplo, já que pode ser utilizado para proteger bens culturais mais singelos, que podem guardar elementos que remetem à identidade de uma época, comunidade ou lugar”, concluiu.

História

Inaugurada em 2007, a escultura principal denominada ‘Millenium’ abriga, em uma espécie de torre, todas as formas das esculturas separadas instaladas em seu entorno. A artista conta que o trabalho foi arquitetado com inspiração na fase promissora que vivia a região, por causa da expansão industrial. Em sua totalidade, as peças foram construídas ao longo de dez anos.

“A obra demorou dez minutos para ser elaborada, dez anos para ficar pronta. Utilizei dez toneladas de metal para criar as peças. O topo da escultura principal dá ideia de vida contínua. Acredito muito que nós, humanos, somos parte da natureza, e todos os meus trabalhos carregam esse conceito. Sendo assim, espero que as obras reunidas tragam uma mensagem de renovação”, destacou Vilma.

Nascida em Diamantina, mas tendo passado sua infância e parte da adolescência em Dionísio e São Domingos do Prata, Vilma Nöel conta que a inspiração para criação das peças veio da metafísica, doutrina que ela aplica tanto nas obras quanto na forma de encarar a vida. A artista é reconhecida no país e no exterior por suas esculturas em bronze, aço inoxidável e granito. Ela mantém estúdios em Nova Iorque, Rio de Janeiro e Minas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui