Formada por mulheres, Mesa Diretora da Câmara Mirim dá exemplo de inclusão

77

Após tomarem posse, vereadores mirins participam da primeira reunião do atual mandato; predominância feminina contrasta com o cenário nacional na política brasileira

- PUBLICIDADE -

A Câmara Mirim realizou a primeira reunião ordinária do atual mandato na tarde desta quarta-feira (4), no plenário da Câmara de Ipatinga. 19 alunos de escolas públicas e privadas do município tomaram posse no dia 28 de novembro e já iniciaram os trabalhos nesta semana. Na solenidade de posse, acompanhada por familiares e amigos, eles tiveram a oportunidade de seguirem o mesmo trâmite de um mandato oficial, com direito a juramento, assinatura do termo de posse e eleição da nova Mesa Diretora.

E o que chamou atenção foi justamente a eleição da nova Mesa Diretora. Após a disputa entre três chapas, o grupo formado pelas estudantes Vitória Paula Andrade (presidente), Kamile Eller Araújo (vice), Stéfany Lopes Lacerda (1ª secretária) e Luana Sila Oliveira (2ª secretária) saiu vencedora na disputa.

Essa é a primeira vez que uma Mesa Diretora formada exclusivamente por mulheres é eleita. Vale lembrar que Mesa Diretora é um colegiado presente em todas casas legislativas do país, cuja responsabilidade é conduzir os trabalhos legislativos e administrativos da instituição.  É esse grupo de parlamentares que define quais assuntos serão votados e quanto de dinheiro pode ser gasto pela Câmara na contratação de servidores ou na compra de equipamentos, por exemplo.

E não é somente na Mesa Diretora que as alunas se destacam. Entre os 19 vereadores mirins do atual mandato, apenas sete são do sexo masculino. Esse cenário na Câmara Mirim é o oposto com o que acontece no mandato oficial. Dos 19 parlamentares adultos em Ipatinga, apenas quatro são mulheres: Cassinha Carvalho, Lene Teixeira, Márcia Perozini e Rominalda de Paula. E nenhuma delas faz parte da Mesa Diretora.

E esse problema não se resume apenas em Ipatinga. Segundo levantamento feito por uma organização internacional, apesar de o Brasil ter legislação específica para garantir a presença feminina na política, o país amarga intensa desigualdade quanto à ocupação de cadeiras parlamentares pelas mulheres. Em um ranking de 190 países, o Brasil ocupa a 152ª posição em relação ao percentual de parlamentares homens e mulheres na Câmara dos Deputados.

O Brasil teve o pior resultado entre os países sul-americanos. A Bolívia, por exemplo, aparece na 2ª posição do ranking, com 53,1% das cadeiras da Câmara ocupadas por mulheres. No caso brasileiro, o percentual é de 10,5%.

No discurso de posse, a nova presidente da Câmara Mirim de Ipatinga, Vitória Paula Andrade, agradeceu o apoio dos colegas e prometeu trabalhar para melhorar a cidade.

“Com essa conquista, prometemos assumir nossas responsabilidades legislativas e também com nosso povo, mas essa conquista não é só nossa, mas de todos nós, para juntos fazermos uma cidade melhor”.

Ao fim da primeira reunião do atual mandato, os novos vereadores mirins e estudantes das Escolas Chirlene Cristina Pereira, Nilza Luzia de Souza Butta e Nelcina Rosa de Jesus, todas públicas, puderam acompanhar palestra promovida pela vereadora Cassinha Carvalho, que falou sobre as atribuições e diferenças entre os Três Poderes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui