HMC forma nova turma de residentes com resultados expressivos

434

Turma de residentes formados do HMC que receberam os certificados

- PUBLICIDADE -

Crédito: Elvira Nascimento

O Hospital Márcio Cunha e a Fundação São Francisco Xavier comemoraram a formação de 32 médicos pelo Programa de Residência Médica. A formatura reconheceu e homenageou os profissionais, agora especialistas nas áreas de: Anestesiologia; Cirurgia Geral; Clínica Médica; Pediatria; Medicina Intensiva; Ginecologia e Obstetrícia; Neonatologia, Ortopedia e Traumatologia e Radiologia.

Para o superintendente do HMC, Mauro Oscar de Souza Lima, o programa permite a permanência de mais profissionais na região e engrandece o vínculo acadêmico da instituição elevando a qualidade técnica e humana dos profissionais. “A residência do hospital, permite uma troca de experiência, ela contribui na formação dos médicos, e em troca a instituição ganha em inovação e novos projetos. Esse conjunto, propicia ainda mais benefícios para a comunidade.”

Em 2017, os números da residência do HMC foram expressivos. Doze especialidades disponibilizadas, com total de 75 médicos residentes e 78 trabalhos científicos publicados, vários deles com a participação de médicos residentes. Números fundamentais para fortalecer a cultura de ensino de pesquisa do hospital e mostrar o quanto os profissionais do corpo clínico estão envolvidos na assistência segura e de qualidade voltada aos pacientes da Usisaúde, do Sistema Único de Saúde (SUS) e demais convênios.

Entenda a Residência Médica

O Programa de Residência Médica conta atualmente com 14 especialidades, com duração entre dois e três anos. Destinados aos profissionais graduados em Medicina, oferece os cursos de Anestesiologia, Cancerologia Clínica, Cardiologia, Cirurgia Geral, Ginecologia e Obstetrícia, Clínica Médica, Ortopedia e Traumatologia, Medicina Família e Comunidade, Medicina Intensiva, Nefrologia, Neonatologia, Pediatria, Radiologia e Diagnóstico por Imagem, e Radioterapia.

Todos os residentes recebem uma bolsa mensal, realizam plantões e cumprem carga horária semanal de 60 horas, envolvendo disciplinas teóricas e práticas. Dentro dessa rotina, também estão inclusos o atendimento em ambulatórios e a realização de procedimentos cirúrgicos, que são sempre monitorados pelos médicos preceptores.

Para ingressar nos programas, é necessário prestar o processo seletivo, conduzido pela Associação de Apoio a Residência Médica de Minas Gerais (AREMG), que promove as inscrições, elabora e aplica as avaliações, analisa o currículo, além de classificar o candidato por nota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui