Hospital Municipal de Ipatinga implanta Núcleo de Segurança do Paciente

333

Com o objetivo de minimizar riscos e danos à saúde dos usuários do Hospital Municipal Eliane Martins, oferecendo atendimento personalizado, a Prefeitura de Ipatinga acaba de implementar o NSP – Núcleo de Segurança do Paciente.

- PUBLICIDADE -

Em cumprimento à portaria ministerial 529/2013, a iniciativa vem gerando mais qualidade nos serviços oferecidos, a partir da integração dos profissionais de todos os setores, da articulação dos processos de trabalho e das informações específicas de cada paciente.

De acordo com a enfermeira presidente do NSP, Ana Paula Leris, “por meio da ação o corpo clínico do hospital trabalha de maneira que o procedimento certo seja feito no paciente certo. Assim garantimos sua segurança desde a entrada até sua alta”, explica.

Estudos mostram que é alta, no Brasil, a incidência de Eventos Adversos (EA), que resultam em dano à saúde do paciente. A ocorrência deste tipo de incidente no país é de 7,6%, dos quais 66% são considerados evitáveis.

“Tais eventos causam prejuízos ao paciente, familiares e a todo sistema de saúde, e ocorrem devido às falhas decorrentes de processos ou estruturas da assistência”, explica Ana Paula.

Ao todo, 10 metas de segurança são estabelecidas para serem desenvolvidas na rotina da instituição, a partir da implementação do Núcleo: 1) identificação do paciente; 2) prática de higiene das mãos; 3) prevenção de quedas; 4) segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos; 5) prevenção de lesão por pressão; 6) prevenção e controle de eventos adversos em serviços de saúde, incluindo infecções relacionadas à assistência à saúde; 7) segurança nas terapias nutricionais, enteral e parenteral; 8) comunicação efetiva entre profissionais e entre os serviços de saúde; 9) estimular a participação do paciente e dos familiares na assistência prestada, e 10) promoção do ambiente seguro.

“Ao trabalharmos esses protocolos básicos de segurança, como a prevenção de lesões, por exemplo, os profissionais da saúde conseguem reduzir o tempo de internação, além de evitar o custo com antibióticos, coberturas de curativo e, por conseguinte, prestar uma assistência de melhor qualidade para o paciente, assegurando também uma economia efetiva. Ganha o paciente e ganha a instituição”, comemora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui