Ipatinga planeja ações alusivas ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial

43
Na Clínica Psicosocial, os portadores de sofrimento mental participam de várias oficinas terapêuticas

Profissionais e estudantes da área de Saúde participaram nesta sexta-feira (17), dentro da Semana da Enfermagem promovida pela Prefeitura de Ipatinga, de uma roda de conversa com o tema “Paciente psiquiátrico e os desafios do Hospital Geral”. A iniciativa foi planejada para a véspera do dia em que se comemora nacionalmente a Luta Antimanicomial, 18 de maio.

- PUBLICIDADE -

Ainda neste mês, outras ações relacionadas com o tema estão previstas, sendo realizadas pela Secretaria de Saúde de Ipatinga em parceria com a Associação ‘Loucos por Você’. No dia 24, próxima sexta-feira, às 15h, uma panfletagem será realizada na praça 1º de Maio, no centro da cidade. Já no dia 25, sábado, a partir das 17h, na sede da ‘Loucos’, será promovida uma mesa-redonda que abordará “A reforma psiquiátrica brasileira: trajetórias, desafios e perspectivas”. A entidade fica situada na avenida Rodolfo Bernardelli, 294, no bairro Ideal.  

Neste ano, a bandeira do movimento é o combate aos riscos de retrocessos. A data da Luta Antimanicomial, estabelecida em 1987 após um Congresso Nacional de Trabalhadores de Saúde Mental, surgiu em favor da extinção de manicômios e instauração de práticas humanizadas de tratamento.

Carine Cristina

A gerente da Seção de Saúde Mental de Ipatinga, Carine Cristina Pereira, explica que “a proposta das ações é reforçar a luta contra o preconceito e desmistificar a doença mental, atentando também para a manutenção das conquistas alcançadas através da Reforma Psiquiátrica, de 1970”. Conforme ela, “a reforma instaurou o tratamento em liberdade, através de serviços como Centro de Apoio Psicossocial (CAPS), centros de convivência, residências terapêuticas, direito ao convívio social, à cidadania e ao protagonismo. Nos serviços, nosso trabalho é garantir uma assistência humanizada, com uma equipe de multiprofissionais, que tem um cuidado especial com os pacientes”, detalhou.

Roda de conversa sobre Saúde Mental na Semana da Enfermagem

Atendimento em Ipatinga

Em Ipatinga, os pacientes que sofrem de transtorno mental contam com uma rede de atendimento multiprofissional gratuito. A Prefeitura mantém o CAPS II, na Clínica Psicossocial, anexa à Policlínica, no bairro Cidade Nobre, que é o serviço de urgência especializado para atendimento aos portadores de sofrimento mental. Já o CAPSi, voltado ao público infanto-juvenil, recebe mensalmente 300 crianças e adolescentes em oficinas e atividades que permitem a permanência durante o dia.

Nas Unidades Básicas de Saúde, o acolhimento é feito por técnicos de referência em saúde mental. São oferecidas, além de medicação, consultas de controle, acompanhamento familiar e oficinas terapêuticas. O município ainda assegura assistência hospitalar a esse público no serviço de urgência e emergência da cidade: UPA, SAMU e Hospital Municipal.  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui