Ipatinga recebe Expedição Piracicaba no Dia Mundial do Meio Ambiente

17

O encerramento da “Expedição Piracicaba – Pela Vida do Rio” fez parte da programação em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, nesta quarta-feira (5), no Parque Ipanema. O espaço recebeu um grupo de 25 profissionais, divididos em dois grupos, que desde o dia 26 de maio participa de uma caravana pela Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba a fim de traçar um diagnóstico completo do rio e de seus afluentes.

Para receber os navegantes, foi realizada uma atividade solene no galpão principal do Parque, com apresentação cultural e musical de alunos de escolas municipais. A recepção contou ainda com a presença do prefeito Nardyello Rocha; representantes da Polícia Militar Ambiental; Corpo de Bombeiros; o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba, Flamínio Guerra, e a presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce, Lucinha Teixeira, além de outras autoridades políticas, secretários municipais de Ipatinga e representantes de entidades ligadas à preservação do meio ambiente. Durante o evento, alunos das escolas municipais participaram de um plantio de mudas de Pau Rei.

A expedição

Mais de 800 mil pessoas vivem na Bacia do Rio Piracicaba e, apesar de a maioria nem perceber, suas vidas dependem direta ou indiretamente da vida do curso hídrico. Atualmente a qualidade e a quantidade das águas do Piracicaba se encontram cada vez mais ameaçadas por ações do homem, advindas de ocupação desordenada, esgotamento sanitário, pastagens e mineração, entre outros fatores.

Diante desta situação, foi pensada a expedição, composta por profissionais de diferentes áreas. Os navegantes saíram no dia 26 de maio da nascente do rio Piracicaba, em Ouro Preto, passando por outras 19 cidades, e a travessia foi encerrada na foz, em Ipatinga. O principal objetivo da exploração é mobilizar as cidades da bacia em prol da revitalização do rio e colher dados para conhecer a realidade da bacia. Paralelamente, será elaborado ainda um diagnóstico atualizado do Piracicaba.

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba, Flamínio Guerra, explica que graças a uma parceria com a Universidade Federal de Itajubá (Unifei) o rio está sendo monitorado em 37 parâmetros, com realização de análise da qualidade da água e condições do fundo do leito. “As coletas são feitas em 28 pontos. Essas amostras irão nos dizer a realidade que irá nortear os nossos trabalhos. A gente sabe que os grandes problemas do rio são o esgotamento sanitário e o assoreamento. E como iremos fazer uma revisão do plano de bacia, a partir do segundo semestre, essas análises serão de fundamental importância para sabermos qual ação mais efetiva para conseguirmos avançar nas políticas públicas”, disse, acrescentando que outro problema enfrentado é o lançamento do esgoto doméstico no rio Piracicaba. “Estamos entregando uma água de má qualidade ao rio Doce. Então a gente espera que esses novos estudos possam nortear os avanços”.

A presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce, que abrange 229 municípios, Lucinha Teixeira, lembra que os rios formam uma rede integrada e que qualquer impacto em afluentes na Bacia do Rio Doce irá afetar a qualidade hídrica. “Esta ação do comitê do Piracicaba é importante neste momento em que todos os comitês começam a trabalhar com a revisão do plano de recursos hídricos. O trabalho desta expedição traz de forma mais detalhada os impactos que ocorrem na área do Piracicaba, e também foi um momento importante de mobilização da sociedade. A gente só vai conseguir trazer uma água em quantidade e qualidade melhor para o rio Doce e o rio Piracicaba se toda a bacia, poder público, usuários e sociedade estiverem de fato comprometidos com isso”, analisa.

Educação Ambiental

O prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, que recebeu a expedição no Parque Ipanema, endossou os discursos apresentados pelos representantes das duas bacias e foi didático no que diz respeito à educação ambiental. “Está muito claro pra mim que só por meio da educação é que iremos mudar essa situação do meio ambiente. Infelizmente temos mais dificuldade com o adulto. Recentemente, tentamos implantar em Ipatinga a Coleta Seletiva, mas muitos não entenderam a proposta e tivemos que retirar os coletores dos bairros. Ipatinga deixa de receber ICMS Ecológico da ordem de milhões de reais que poderiam ser utilizados para o bem da nossa população, simplesmente por não termos a Coleta Seletiva. E isso despertou em mim o sentimento de que temos que trabalhar junto às escolas. Vamos focar no meio ambiente, na preservação da água, na sustentabilidade, porque sabemos que essas crianças de hoje levarão novas culturas para as famílias. O ciclo pode ser mais lento, mas será eficiente na cidade”, acredita.

O prefeito frisou que Ipatinga é uma cidade que está preocupada com o meio ambiente e assegurou que o governo não irá medir esforços para que ações de preservação sejam realizadas no município. “Quando for conhecido o resultado desta expedição, veremos quais as necessidades de fazermos as adequações e ações necessárias”, antecipou.

Diagnóstico

Dentro do item qualidade da água, as variáveis que serão analisadas para o diagnóstico são: PH, temperatura, turbidez, condutividade elétrica, oxigênio dissolvido, nitrogênio, fósforo e coliformes termotolerantes, entre outros. O diagnóstico pode resultar em produção de filmes – documentário e publicitário -, exposição fotográfica subsidiada por imagens produzidas ao longo da expedição e um livro-relatório que irá conter todas as informações dos últimos 30 anos da Bacia do Rio Piracicaba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui