Memórias e Cores promove mais uma oficina em Guanhães

88

Fotos: Dani Dornelas

 

- PUBLICIDADE -

IPATINGA – Como parte das atividades previstas no projeto Memórias e Cores, a artista visual Rosane Dias ministrou mais uma Oficina de Arte e Criação de Indumentárias; dessa vez, para os congadeiros de Peçanha,  da Guarda de Congo de Nossa Senhora do Rosário, e marujeiros da Guarda Nossa Senhora Aparecida, de Guanhães, onde foi realizado o evento.

No mês passado, a aula foi promovida para os congadeiros de São José dos Cocais, zona rural de Coronel Fabriciano.

A inciativa tem como propósito orientar os grupos sobre a confecção de suas indumentárias e adereços, considerando as características próprias de cada agremiação. “Essa é uma etapa importante do projeto, é o momento em que  cada congadeiro decora os seus próprios adornos segundo as cores que prevalecem em seu uniforme, sem perder a identidade do grupo”, comenta Rosane.

Ao todo, 51 pessoas participaram da oficina, entre congadeiros e marujos com  idade entre 12 e 84 anos.

Para a marujeira Maria da Conceição Ferreira,  que integra o grupo de Guanhães há 28 anos, a oficina foi muito produtiva. “Adquirimos mais conhecimentos com a professora, que é excelente, assim como tudo nesse projeto, que só tem trazido alegria para todos nós, apaixonados pela marujada”.

Arnaldo Lúcio Pereira, o Arnaldo Muciço, também avalia positivamente, tanto a oficina quanto o projeto Memórias e Cores, que vem promovendo o renascimento de seu grupo. “Dos 25 integrantes da Marujada dos Vieiras, restavam apenas 3 elementos. Agora, graças ao projeto patrocinado pela Cenibra, recebemos uma turma boa de jovens para recompor o nosso grupo. Estão todos muito motivados com todas as atividades que temos realizado por meio do Memórias e Cores. Já retomamos nossos ensaios. Até agora, foram seis encontros”, contabiliza Arnaldo.

Segundo avaliação de Dóris Coelho, a Dorinha, prefeita de Guanhães que participou de uma das oficinas ministradas em sua cidade, o  Memórias e Cores tem um papel relevante no que diz respeito à promoção da arte, das tradições e cultura popular. “Hoje, vivemos um modelo de vida que nos tira o tempo para contemplar o que é belo, a cultura, a arte, tudo que embeleza a nossa vida e que nos faze refletir sobre questões espirituais. O Memórias e Cores nos devolve isso, por ser muito atrativo e por vir até nós, que já estamos ansiosos para participar do grande dia da apresentação dos grupos, em um momento ainda maior”.

Além das oficinas para fins de renovação dos uniformes dos congadeiros e marujeiros, por meio do Memórias e Cores será lançada uma cartilha sobre os grupos. Resultado de uma pesquisa entre os congadeiros e entrevista com a folclorista Deolinda Alice dos Santos, outra oficineira do projeto, a obra já está em sendo produzida.

Memórias e Cores é um projeto de resgate, fortalecimento e difusão de grupos dedicados às tradições das congados e marujadas. A iniciativa é uma realização da MC Produções e Ministério da Cidadania. Memórias e Cores conta com o patrocínio da Cenibra, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui