Prêmio Nippon de Jornalismo resgata história dos japoneses na construção da Usiminas

346

Vencedores, auditoria e representantes da NSSMC

Egawa, Marta Vieira e Gustavo Werneck (Copy)

- PUBLICIDADE -

Kazuhiro Egawa, diretor para as Américas da Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation com a vencedora Marta Vieira e o colega de reportagem, Gustavo Werneck, jornalistas do Estado de Minas

Osamu Nakagawa e Mara Bianchetti (Copy)

Osamu Nakagawa, chefe do escritório da NSSMC em Belo Horizonte, com Mara Bianchetti, jornalista do Diário do Comércio, vencedora da Menção Honrosa Mídia Impressa

Osamu Nakagawa e William Saliba (Copy)

Osamu Nakagawa, chefe do escritório da NSSMC em Belo Horizonte, com Antônio William Saliba, da Carta de Notícias

Equipe NSSMC, vencedores e auditoria (Copy)

Equipe NSSMC, vencedores e representante da auditoria Walter Heuer (Maira Mesquita)

Crédito: MPEREZ

A grande vencedora foi a jornalista Marta Vieira, do Estado de Minas, com a série de reportagens “Da terra ao aço”

 

O arco da amizade que constituiu a região mineira do Vale do Aço foi a narrativa vencedora do 1º Prêmio Nippon de Jornalismo – Uma História de Encontros. Marta Vieira, Gustavo Werneck e Luiz Ribeiro (textos) e Túlio Santos (fotos), foram os autores da série de reportagens “Da Terra ao Aço”, publicado em janeiro no jornal Estado de Minas. “O prêmio surgiu para fomentar o diálogo, estimular a troca de experiências e celebrar as conquistas de mineiros e japoneses com a Usiminas, que tantos benefícios traz a Minas e ao Brasil”, afirmou o diretor executivo para as Américas da Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation (NSSMC), Kazuhiro Egawa, durante evento de celebração na noite deste terça-feira (20), no Museu Inimá de Paula, em Belo Horizonte.

vencedora conquistou uma viagem de sete dias para o Japão com direito a acompanhante, no valor total de R$ 20 mil. “Além do reconhecimento que vale para qualquer profissional, foi um grande aprendizado sobre pessoas que construíram a nossa história, a história de Minas Gerais. Os japoneses continuam fazendo parte dessa economia, do comércio, da vida da cidade”, conta Marta Vieira.  A premiação é uma iniciativa da Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation (NSSMC), a maior acionista controladora da Usiminas, com o objetivo de valorizar as matérias e os jornalistas que resgataram as diversas histórias entre mineiros e japoneses, nos últimos 60 anos de parceria, desde a assinatura do acordo Lanari-Horikoshi.

Todo o processo, desde o recolhimento das pontuações das matérias até a apuração, foi auditado pela Walter Heuer, renomada empresa do setor, responsável por várias auditorias de premiações mineiras e nacionais. Além do grande prêmio da noite, foram entregues três menções honrosas como forma de reconhecer a qualidade dos trabalhos inscritos: Menção Honrosa Mídia Impressa (Mara Bianchetti/Diário do Comércio), Rádio e TV (Júlio Vieira/Band News FM) e Mídia Digital (William Saliba/ Carta de Notícias).

Informações adicionais

Jurados

Para avaliar as matérias inscritas no prêmio, foram selecionados sete jurados qualificados no mercado da comunicação de Minas Gerais. Foram eles:

  • Mozahir Salomão Bruck, pós-doutor em Teoria e Ética do Jornalismo em Portugal e secretário de Comunicação da PUC Minas;
  • Madelon Piana, diretora regional da Abracom;
  • Marcelo Freitas, redator-chefe do portal de notícias BHAZ, com grande experiência como repórter nos impressos de Minas Gerais;
  • José Antônio Bicalho Leite, jornalista com 32 anos de experiência e sócio e editor do jornal O Beltrano;
  • Marcelo Sander, especialista em Marketing e Web Jornalismo e diretor do MWM;
  • Mayrink Pinto Júnior, diretor do Sistema MPA de Comunicação e presidente da Amirt;
  • Valério Fabris, jornalista com mais de 40 anos de atuação o mercado, trabalhando como  repórter, redator, correspondente, editor e diretor da Gazeta Mercantil e da Veja.

Marcelo Freitas, editor do BHAZ, foi um dos jurados e destacou que a grande função do prêmio foi trazer para o conhecimento das pessoas a história que está por trás da Usiminas com a cultura e a tecnologia de origem japonesa. “São muitas histórias nesse período com os imigrantes japoneses que se juntaram aos brasileiros para construir a Usiminas”.

Durante a cerimônia, Mozahir Salomão Bruck, falou em nome de todos os jurados. “Quando estava lendo as matérias, sobre a cultura japonesa, essa articulação entre japoneses e mineiros, lembrei da minha família. Meu avô paterno é um ucraniano judeu e meu avô materno um sírio muçulmano. E eu pensei que o Brasil é isso: esse lugar dos encontros, das associações improváveis. Acho que faz muito sentido dizer que o Brasil, acima de tudo, é o lugar das possibilidades. Os estrangeiros que pra cá vieram contribuíram muito para o desenvolvimento do Brasil e o Brasil também ofereceu a eles muitas possibilidades”.

Auditoria e parceiros

Todo o processo, desde o recolhimento das pontuações das matérias até a apuração, foi auditado pela Walter Heuer, renomada empresa do setor, responsável por várias auditorias de premiações mineiras e nacionais.

A 1ª edição do Prêmio Nippon de Jornalismo conta ainda com o apoio do Sindicato dos Proprietários de Jornais, Revistas e Similares do Estado de Minas Gerais (Sindijori), do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG), da Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt) e do Mercado Web Minas (MWM).

 Depoimentos

Foram inscritas 26 matérias, sendo que dessas 20 foram consideradas válidas, pois atendiam todos os requisitos do regulamento. O diretor executivo para as Américas da NSSMC, Kazuhiro Egawa, revelou sobre a alegria ao ver as matérias inscritas e agradeceu aos jornalistas pela dedicação. “Ao ver os trabalhos jornalísticos produzidos, sentimos um carinho enorme com a Usiminas, com a Nippon, com os japoneses e brasileiros, que no passado e no presente, fazem parte dessa história”.

A jornalista Mara Bianchetti, do Diário do Comércio, disse que a Menção Honrosa Mídia Impressa foi uma surpresa muito feliz para mim e para o Diário do Comércio que em seus 85 anos de atuação no Estado, faz parte da história da Usiminas. “O Diário do Comércio cobriu a fundação da Usiminas, cobriu a chegada dos japoneses ao Brasil. Então, nada mais justo do que o Diário do Comércio agora fazer parte disso também. Com a menção honrosa, estamos presente, fazendo jus ao que o senhor José Costa fez no passado. E pra mim, enquanto jornalista, com nove anos de formada, fico muito feliz, honrada e que venham mais!”.

Menção Honrosa Rádio e TV foi conquistada pelo jornalista Júlio Vieira, da Band News FM. Ele revelou que ficou tão feliz como se fosse o primeiro lugar, já que estava concorrendo com profissionais tão qualificados que estão no mercado mineiro há muitos anos.  “O dia a dia nas redações não é fácil, a valorização precisa vir e esse tipo de prêmio faz a gente ter um brilho no olhar. Senti um grande prazer em produzir a matéria e fico muito feliz de saber que ela foi ouvida por pessoas tão importantes, do outro lado do mundo, que ajudaram a construir a história de tanta gente com a construção da Usiminas. Daqui a 30 anos irei lembrar-me de hoje e o local deixou tudo ainda mais perfeito, o Museu Inimá de Paula é um lugar simbólico para Belo Horizonte”.

Já a Menção Honrosa Digital foi para o colunista da Carta de Notícias, de Ipatinga, Antônio William Saliba. “Me sinto muito orgulhoso ao ser contemplado com essa menção honrosa com um trabalho que marca a posição de destaque das relações entre o Brasil e o Japão a partir da fundação da Usiminas”, diz William Saliba, vencedor da Menção Honrosa Digital.

O gerente de imprensa da Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais), Trajano Raposo, esteve presente no evento e destacou a importância do prêmio por valorizar uma categoria profissional que é essencial no contexto histórico por narrar os fatos e esse material serve como um documento de referência histórica. Também revelou que já vem acompanhando a história dos japoneses há muitos anos. “Quando era repórter do Diário do Comércio, fiz a reportagem e a edição do Caderno Especial de 25 anos da Usiminas. O Prêmio Nippon de Jornalismo vem em um momento importante para resgatar a história dos japoneses para as próximas gerações, espero que se repita por muitas vezes”.

João Leite, deputado estadual

“Como parlamentar de Minas Gerais, reconheço a importância da presença japonesa no nosso Estado, do investimento japonês e as contribuições como esta, o Prêmio Nippon de Jornalismo. Estou muito feliz porque essa iniciativa vem premiar o jornalismo mineiro, que como todos nós acompanhou a presença japonesa em Minas Gerais, presença da Usiminas, da Nippon, tão fundamental para o crescimento de Minas Gerais. Diante dos japoneses, somos bebês. Eles emprestam essa cultura milenar para Minas Gerais que traz tanta contribuição para a formação do povo mineiro

Paulo Paiva, diretor de conteúdo da Superintendência de Imprensa  do Governo de Minas

“Minas está muito ligada com a história da Usiminas. A construção da Usiminas foi um marco para a economia do Estado. Os japoneses saindo de uma Segunda Guerra Mundial vieram para o Brasil, e por incrível que pareça, mineiros e japoneses se acertaram muito bem, fizeram um belo trabalho, construíram uma belíssima empresa, uma belíssima cidade que é Ipatinga. Nós estamos passando por uma fase em que o jornalismo está muito carente de boas reportagens e um prêmio como este que estimula esse trabalho é muito bem-vindo. Espero que venha outros prêmios” .

Nardyello Rocha, presidente da Câmara de Ipatinga

“Esse prêmio tem algo de muito importante para a história de Ipatinga, porque a história da Nippon Steel em Minas Gerais e no Brasil, cravada em Ipatinga. Temos, inclusive, escritores, jornalistas de Ipatinga, da nossa cidade, que concorreram ao prêmio. Fiquei muito feliz quando a Nippon fez questão que o legislativo ipatinguense estivesse representado neste evento e eu estou o fazendo com muito prazer, com a certeza de que a Nippon continua sendo muito importante para a história do Vale do Aço, de Minas e do Brasil”.

Marcone Alberto de Andrade, assessor de imprensa da Usiminas

“O prêmio tem uma contribuição imensa em termos de relacionamento, de clima com os jornalistas e chega em um momento super oportuno, em que a Usiminas está com

bons resultados financeiros. A empresa divulgou na semana passada os resultados de 2017. Eu acho importante para o estado inteiro e eu faço votos para que seja um prêmio para sempre”.

Elísio Vieira, presidente do Grupo Raízes

“A Nippon Steel tem a sua parte preponderante como sócia de primeira grandeza da Usiminas, agora num cenário mais positivo junto com a Ternium e eu estou representando aqui o Grupo Raízes, de Ipatinga, com muita honra, e parabenizo a Nippon Steel por esse prêmio que significa muito, mas mais ainda para o povo de Ipatinga, para a Usiminas e para a comunidade como um todo. Para Minas Gerais e de uma maneira muito especial para a cidade de Ipatinga”.

 

 

 

 

Sobre a Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation (NSSMC):

Fundada em outubro de 2012 por meio da fusão entre Nippon Steel Corporation e Sumitomo Metal Industries, Ltd., a Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation (NSSMC) é líder mundial em produção integrada de aço.  Produz uma ampla gama de produtos siderúrgicos de valor agregado, em 15 países, assim como nas 13 usinas no Japão. A empresa enfatiza três áreas de negócios como áreas estratégicas chave: produtos de aço de alta qualidade para automóveis; recursos e energia; e engenharia civil, construção e ferrovias.  A NSSMC é uma holding com cinco operações: siderurgia, engenharia, produtos químicos, novos materiais e soluções de sistemas. O grupo emprega aproximadamente 92 mil funcionários e registrou no último ano fiscal (encerrado em 31 de março de 2017) um lucro de 174,5 bilhões de ienes (1,6 bilhão de dólares).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui