O filme Ipatinga heterológica traz a heterogeneidade da cidade de Ipatinga.

32

No próximo dia 29 de dezembro, a partir de 00h, vai ao ar o curta-metragem experimental Ipatinga heterológica, de Cícero Menezes, em seu canal no YouTube (youtube.com/c/CíceroMenezes), e às 19h no mesmo canal, ocorrerá uma live de conversa sobre o filme com o realizador e o diretor de fotografia, Nilmar Lage. Durante a conversa mediada por Luciano Botelho, ambos dedicarão um tempo para possíveis questões colocadas via chat.

Ipatinga heterológica é um curta-metragem experimental que põe em evidência o “impuro” ou o heterogêneo da cidade, ou tudo o que nela escapa à utilidade, à funcionalidade e à racionalidade urbana: unanimidades áridas do ideário humanista já constituídas no imaginário ipatinguense. Trata-se, portanto, de uma transgressão desse imaginário, pondo em evidência os “foragidos da pirâmide” com os quais nos deparamos no cotidiano, para, assim, alçar-nos ao conhecimento do heterogêneo, do “excedente inapreensível” que fustiga a ciência régia. Ipatinga heterológica é, então, uma espécie de “saber alegre” sobre a vida ipatinguense.

- PUBLICIDADE -

O filme foi realizado por Cícero Menezes e Governo Federal via Lei Federal 14.017, Prefeitura Municipal de Ipatinga e Fundo Municipal de Cultura – Edital José Lopes Sobrinho.

Heterológico: Na linguística, diz-se do termo cujo significado não descreve a si mesmo (por exemplo, a palavra “monossilábica” não é monossilábica, a palavra “oxítona” não é oxítona). Já no campo social, heterológico ainda se refere ao “objeto” sobre o qual se debruça a “heterologia”: termo proposto pelo arquivista francês Georges Bataille como a “ciência daquilo que é totalmente outro” (tout autre), uma espécie de escatologia, ou “ciência do lixo”, ou ainda, se preferirmos, uma espécie de “conhecimento do excedente inapreensível”, da parte maldita que corrompe as formas homogêneas, nelas mesmas instando o aparecimento do radicalmente singular: o heterogêneo.

Cícero Menezes_

Cícero Menezes

Doutorando em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia, onde foi professor temporário vinculado ao Núcleo de Teoria, História, Projeto e Planejamento. Atua principalmente nos temas relacionados com teoria, crítica e prática da cidade na interface da arquitetura e do urbanismo com outros campos dos saberes e desenvolve, desde 2005, obras relacionadas ao audiovisual, ao design gráfico e à intervenção urbana. No âmbito do coletivo de videoarte Molin TL, integrou mostras coletivas como a do “Cineclube CurtaCircuito” e a do “9º Festival Internacional de Curtas BH”. Individualmente, integrou mostras como “Indie 2007 – Mostra de Cinema Mundial” e “Mostravídeo Itaú Cultural”. É autor do livro Fluidor: o ser da comunidade de ser (Hibridus, 2020).

Ficha Técnica:

Realizador: Cícero Menezes

Diretor de fotografia: Nilmar Lage

Assessor de imprensa: Luciano Botelho

Contadora: Rejane Moreira

Estreia do filme Ipatinga heterológica e Live

Estreia: 29.12, a partir de 00h00 (youtube.com/c/CíceroMenezes)

Live: 29.12, às 19h00 (Transmissão: youtube.com/watch?v=DSXN5O7Td5M)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui