Secretária de Saúde avalia o trabalho de combate à Covid 19 em Coronel Fabriciano 

10
A estrutura do HJMM foi ampliada e hoje conta com 69 leitos exclusivos para tratar Covid (

A Secretária de Governança da Saúde de Coronel Fabriciano, Kátia Barbalho, fez nessa quarta-feira, 29, uma avaliação positiva do trabalho realizado na cidade no combate à Covid 19 até o momento. Com 5.098 casos notificados desde 15 de março, início da pandemia, a cidade possui 1.768 casos confirmados, o que representa 1,60% da população. Do volume de casos confirmados, 79% se recuperaram. São 1.395 pessoas que tiveram a doença e venceram a Covid. 

- PUBLICIDADE -

Katia Barbalho considera que a população contribuiu de forma positiva para o controle da doença. “Eu tenho visto que a nossa população obedeceu ao isolamento na hora certa e adotou a máscara e fez uso do álcool gel e eu compreendo que este é o caminho que nós temos até chegar a vacina”.

Kátia diz que o isolamento social continua sendo importante e é recomendado a todos os moradores, especialmente os idosos. “Sobre a máscara, a gente considera essencial que ela continue sendo usada em todos os ambientes. “A gente costuma dizer que a máscara não é só para proteger você, mas para proteger o próximo.  É uma maneira de mostrar empatia e que estamos preocupados com o outro”, disse. A secretária lembra que a pessoa pode estar com a doença sem saber, assintomática e com a máscara ela evita que o vírus seja disseminado.

BARREIRA SANITÁRIA

Ainda no início da pandemia, o município implantou uma barreira sanitária na rodoviária com uma equipe se revezando para orientar e informar quem chegava de fora. Atualmente a barreira encontra-se desativada. “Nós entendemos que desde que a transmissão se tornou comunitária a barreira sanitária perde o sentido. Enquanto ela existiu foi muito importante e nos ajudou a controlar a entrada da doença, mas agora não justifica mais”. 

A secretária ressalta que o cenário da pandemia na cidade reflete também toda a preparação e os investimentos feitos pela gestão na estrutura de saúde de forma preventiva. “Nós preparamos o hospital e chegamos a 69 leitos exclusivos para pacientes de Covid. Centralizamos os atendimentos primários em uma unidade especialmente preparada para a doença e criamos uma central de orientação por whatsApp. Pra completar, concentramos esforços na população idosa, com a vacinação antecipada e domiciliar contra a gripe. Isso foi primordial e nos deu tranquilidade para flexibilizar a economia evitando uma onda de desemprego em massa como ocorreu em outras cidades”, concluiu. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui