Semana de Iniciação Científica e de Extensão do Unileste recebe jornalista Marcelo Tas

23

O bate-papo abordou desafios na Era Digital para todas as instituições e profissionais, assim como revelou a diversidade como produtora de resolução de problemas. 

- PUBLICIDADE -

Na última quarta-feira (30), o Centro Universitário Católica do Leste de Minas Gerais (Unileste) deu início à sua 20ª Semana de Iniciação Científica e 11ª Semana de Extensão (Sicex). Com o tema “Políticas Públicas e o bem comum: o papel da pesquisa e extensão”, o evento trouxe como convidado o jornalista e educador Marcelo Tas, que abriu a programação da Semana trazendo o tema inovação e criatividade na era digital. A abertura ocorreu no Teatro João Paulo II, localizado no campus Coronel Fabriciano, e ainda foi transmitida ao vivo para os outros auditórios da Instituição. A programação do evento se estende até esta sexta-feira (1º).

“A SICEX articula a pesquisa, extensão e ensino, divulgando e disseminando os resultados das pesquisas, projetos e trabalhos de conclusão de curso desenvolvidos por universitários, docentes e servidores de diversas Instituições de Ensino Superior da região. O tema da semana, articulado à Campanha da Fraternidade, é de grande relevância e nos dá direção sobre a realidade escolhida para a execução de ações transformadoras em nossa sociedade”, afirma o reitor Unileste, Dr. Genésio Zeferino.

Durante a palestra com o jornalista e educador Marcelo Tas, os participantes puderam saber mais sobre a trajetória profissional do convidado e como a inovação, criatividade e o estudo de diversas áreas do conhecimento foram protagonistas para a sua ascensão profissional. Marcelo também enfatizou o papel da pesquisa e da universidade para o surgimento de novas tecnologias e como as instituições, não só educacionais, precisam se reinventar todos os dias para acompanhar as atualizações em todos os aspectos e experiências do cotidiano social e profissional.

“A educação é algo árduo, algo que dá trabalho. E a gente tem que saber o valor da diversidade de experiências da vida para a produção de soluções. E diversidade pra mim significa não só na vida, mas também na vida coletiva da equipe que você trabalha ou da equipe dentro da sala de aula. Diversidade é uma produtora de resolução de problemas e é isso que as escolas, universidades e o mercado de trabalho precisam”, declara o jornalista.

Segundo a coordenadora de Pesquisa, Iniciação Científica e Extensão do Unileste, Gabriela Von Ruckert, durante a semana, “os participantes poderão participar de palestras, mesas-redondas, apresentações orais e de banner, minicursos, oficinas, exposições, e apresentações culturais sobre variados temas. O evento também propõe realizar um intercâmbio entre as diversas áreas do ensino e democratizar a pesquisa e a extensão universitária”, avalia.

Além das mais de 200 apresentações orais de trabalhos, 72 palestras, minicursos e oficinas e apresentações de pôsteres, a Instituição também realiza a Semana de Comunicação, e as semanas integradas das escolas Politécnica e de Ciências Sociais e Aplicadas e promove a segunda edição do prêmio Dom Lelis Lara, que será concedido ao melhor trabalho de apresentação oral relacionado ao tema da Semana. O nome do prêmio é uma homenagem póstuma ao bispo emérito da diocese de Itabira-Coronel Fabriciano (MG), Dom Lelis Lara, que teve papel e contribuição significativa nas ações com foco no desenvolvimento do Vale do Aço e do Unileste. Confira toda a programação no link unileste.edu.br/sicex.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui