Sífilis: Prefeitura de Ipatinga oferece testes gratuitos durante no dia D

132

O exame é gratuito, seguro e sigiloso

- PUBLICIDADE -

Crédito: Secom / PMI

Ação será realizada nesta sexta-feira (19), no Centro de Controle de Doenças Infecto-Parasitárias (CCDIP)

Focada em orientar a população sobre os riscos da Sífilis, a Prefeitura de Ipatinga, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, promove nesta sexta-feira (19) o Dia D de combate à doença. Será realizado um mutirão de testes rápidos para identificação imediata da patologia. A ação é alusiva ao Dia Nacional de Combate à Sífilis, definido para o terceiro sábado de outubro conforme a Lei 13430/2017.

 

Os testes serão realizados por profissionais do Centro de Controle de Doenças Infecto-Parasitárias (CCDIP), de 7h30 às 17h30. Para participar, basta à pessoa comparecer à sede do CCDIP, situada à rua Governador Valadares, nº 45, no Centro. O interessado deve levar um documento com foto. O exame é gratuito, seguro e sigiloso.

Os testes rápidos são aqueles cuja execução, leitura e interpretação dos resultados são feitas em, no máximo, 30 minutos. Além disso, são de fácil desempenho e não necessitam de estrutura laboratorial. Eles são feitos com amostra de sangue total obtida por punção venosa ou da polpa digital, ou com amostras de fluido oral.

Importância do teste

A secretária municipal de Saúde, Érica Dias Souza, explica que no Dia D também haverá orientações de prevenção, distribuição de preservativos e material educativo. Em caso de confirmação para sífilis ou qualquer outra doença diagnosticada através do teste, a pessoa será referenciada para tratamento.

“A forma mais segura de se proteger da transmissão da sífilis é usar camisinha na relação sexual. A doença é transmitida por uma bactéria e tem três fases de desenvolvimento, podendo inicialmente não apresentar sintomas. Se não for tratada, no entanto, pode comprometer vários órgãos, como olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso”, detalha a secretária.

A doença também pode ser transmitida através do compartilhamento de agulhas ou seringas ou da mãe infectada para o bebê, durante a gravidez ou no parto. Nesse caso, é chamada de sífilis congênita, podendo causar aborto, má-formação do feto e até a morte do bebê.

TESTE SÍFILIS

Incidência da doença

Apenas de janeiro a setembro deste ano, o Departamento de Vigilância em Saúde de Ipatinga registrou cerca de 360 casos de pacientes infectados com sífilis. Desde total, 248 se enquadram dentro dos infectados de uma forma geral, 58 é o número de registro em gestantes e 55 são os que adquiriram a sífilis congênita.

No ano de 2017, o número de infectados registrados no município era um pouco menor, aproximadamente 335 doentes.

Diagnóstico e tratamento

A sífilis tem cura e é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema Pallidum e transmitida de uma pessoa infectada para outra durante o sexo desprotegido, através da transfusão de sangue e da mãe infectada para o bebê durante a gestação ou no parto.

A doença pode se manifestar em três estágios e os maiores sintomas ocorrem durante as duas primeiras fases, período em que é mais contagiosa. O terceiro estágio pode não apresentar sintomas, e, por isso, dá-se a falsa impressão de cura da doença.

Entre 7 a 20 dias após o sexo desprotegido com alguém infectado surgem os primeiros sintomas, que são pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços (ínguas) nas virilhas. Elas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus.

Todas as pessoas sexualmente ativas devem realizar o teste para diagnosticar a sífilis, principalmente as gestantes, pois a doença na forma congênita pode causar aborto, má-formação do feto e/ou morte ao nascer.

Durante a gestação o teste deve ser feito na 1ª consulta do pré-natal, no 3º trimestre da gestação e no momento do parto (independentemente de exames anteriores). O cuidado também deve ser especial durante o parto para evitar sequelas no bebê, como cegueira, surdez e deficiência mental.

Após o diagnóstico da sífilis, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível e é recomendado pelo profissional de saúde. Os parceiros das gestantes também precisam fazer o teste e ser tratados, para evitar uma nova infecção da mulher.

SERVIÇO

Serviço Especializado em Saúde – CCDIP
Rua Governador Valadares, 45, Centro.
Atendimento: segunda a sexta-feira, de 7h às 18h.
Informações: (31) 3829-8559. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui