Sustentabilidade, proteção ao meio ambiente e oportunidades

35

No dia mundial do meio ambiente FIEMG traz reflexões sobre o tema

 

- PUBLICIDADE -

Situações atípicas como a pandemia da Covid-19 podem atuar como aceleradores da mudança necessária para a sustentabilidade. No Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) propõe esta reflexão à sociedade. “Situações como essa aguçam o sentido de urgência, induzindo mudanças nos modelos de comportamento convencionais para outros mais ágeis, a fim de agregar valor e apoiar a criatividade humana”, afirma o gerente de Meio Ambiente da Federação Mineira, Wagner Soares.

Segundo especialista da FIEMG, pesquisas e inovações tratadas de forma convencional, aguardam o cumprimento de protocolos que atendem garantias jurídicas e operacionais. Porém, neste momento, essas inovações são alçadas à condição de urgência, acelerando resultados. “O desenvolvimento de uma vacina, pelo protocolo convencional, deve cumprir etapas de testes que podem levar de dois a três anos. Diante de uma pandemia, é preciso estruturar um novo protocolo, com economia de etapas e de tempo de resultados, com o objetivo de salvar o maior número de vidas”, explica Soares, que ressalta ainda que essa adaptação contribui para a modernização. “Neste contexto, as soluções tendem à mudança em atendimento à urgência e podem ser mantidas para o futuro, promovendo um salto de modernização e de produtividade para a humanidade”.

O momento atual reforça a importância de celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, pois traz uma mudança de comportamento para as empresas e para toda a sociedade. “Principalmente as empresas precisarão repensar como a sustentabilidade deve ser incorporada à proposta de valor de proteção ao meio ambiente, oportunidades de negócios e bem-estar humano. A sustentabilidade não é um fim, mas um caminho em que cotidianamente se deve seguir com clareza de propósito e propostas de valor. Hoje, Dia Mundial do Meio Ambiente, é momento de repensar e mudar a forma de agir, entender o novo normal diário e se moldar proativamente a favor do meio ambiente”, diz Costa.

Sustentabilidade em evolução

Soares assegura que é possível perceber a mudança no comportamento empresarial com relação ao cumprimento dos conceitos de desenvolvimento sustentável. “Se observarmos o processo produtivo como um todo, verificamos que houve evolução nos últimos 30 anos. Tivemos o aumento da geração de energia renováveis como a solar, eólica e de biomassa, reduzindo a dependência da geração por aproveitamento hidráulico e de combustível fóssil. Na área de processamento de dados, utilizávamos grandes equipamentos e hoje eles são menores e com capacidade de processar mais dados”, exemplificou o ​gerente de Meio Ambiente da FIEMG.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Os ODS fazem parte da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, lançada em setembro de 2015, quando as principais lideranças dos países-membros da Assembleia Geral das Nações Unidas ratificaram seu compromisso para implementação de um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade.

A FIEMG é signatária do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e busca engajar as indústrias mineiras para que elas desenvolvam ações que contribuam para o alcance dos ODS. Por meio de capacitações, assessorias e conteúdos especiais, as empresas são preparadas para compreender a Agenda 2030 como uma grande oportunidade para desenvolver negócios perenes e sociedades mais saudáveis.

“A agenda é ampla e estratégica, não representando risco para a continuidade de negócio. Ela agrega atributos nos serviços e produtos, obrigando a deixar de lado uma visão defensiva de sustentabilidade para adotar uma visão de futuro”, explica Wagner Soares.

Oportunidade de mudança

Para o analista da Gerência de Meio Ambiente da FIEMG, Adriel Andrade Palhares, junto à pandemia provocada pelo novo coronavírus e à crise financeira, é possível vislumbrar uma oportunidade de negócio. “Seguindo os princípios propostos pela ONU e revendo todo o histórico de combate às mudanças climáticas, é importante que as indústrias aproveitem a oportunidade para captações de recursos destinados aos investimentos em um processo produtivo limpo e verde”, explica.

Segundo Palhares, os investimentos para a recuperação da economia tendem a vir para empresas que olham para o futuro. “Ao se investir em resgate de empresas, a tendência é que os recursos financeiros sejam destinados às empresas que apresentem esse perfil sustentável. É importante continuar investindo em pesquisa, tecnologia e inovação para promover a transição da economia cinza para verde e que os recursos financeiros para essa agenda sejam mais abundantes e destinados a esse modelo de sustentabilidade”, reforça o analista da FIEMG.

 Formando cidadãos conscientes e sustentáveis

Para que a sociedade possa utilizar de forma responsável os recursos naturais que temos disponíveis, é importante ensinar, desde criança, ações sustentáveis que possam ser realizadas no dia a dia. Além do aprendizado acadêmico, as Escolas SESI realizam projetos que ajudam nessa formação de cidadãos conscientes em relação ao futuro do planeta Terra.

Um deles é a Horta Ecológica do SESI Santa Luzia. Alunos do Ensino Médio tiveram a oportunidade de criar uma horta, usando conhecimentos adquiridos em aulas de geografia e química. Além de entenderem mais sobre a produção de alimentos orgânicos e alimentação saudável, os estudantes ainda puderam desenvolver técnicas de reaproveitamento de recursos e refletir sobre o consumo sustentável.

Tijolos Ecológicos, produzidos com rejeitos de mineração e ligas de grafeno, foram criados por alunos da Escola SESI Emília Massanti, em Belo Horizonte. Já os alunos da Escola SESI Benjamim Guimarães, em Contagem, desenvolveram Projeto Composteira, onde utilizam a técnica de compostagem para aproveitar restos de alimentos, podas de jardim, serragem, trapos de tecido e outros materiais descartados para serem utilizados como adubo.

Sobre a data

O dia 5 de junho, desde 1972, é dedicado ao Meio Ambiente, por decisão da ONU. Todos os anos, somos convidados a refletir sobre diretrizes ambientais e o compromisso da sociedade para a preservação do meio ambiente.

“A data serve para lembrarmos dos compromissos assumidos pelos governos do mundo todo e verificar se as políticas públicas, voltadas para a sustentabilidade, estão promovendo a mudança necessária para a preservação e se sociedade está se apropriando do conceito de desenvolvimento sustentável”, finaliza Wagner Soares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui