TRE-MG confirma candidatura de Nardyello Rocha

31

Disparado nas pesquisas de intenção de voto, prefeito de Ipatinga diz que adversários não conseguirão enganar população com fatos “distorcidos e requentados”

- PUBLICIDADE -

Favorito e disparado na liderança de todas as pesquisas de intenção de voto em Ipatinga divulgadas até agora, o prefeito Nardyello Rocha 23 está livre e desimpedido para disputar a reeleição. Sua candidatura foi deferida pelo colegiado do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG). A sentença do TRE, que saiu às 16h14 desta terça-feira (28), acaba definitivamente com qualquer boato ou fake news sobre sua participação no pleito do dia 15 de novembro próximo.

A decisão do TRE-MG confirma o entendimento da Justiça Eleitoral de Ipatinga, que já havia rejeitado recurso do Ministério Público pela sua inelegibilidade sob alegação de que, em 2007, quando no exercício da presidência da Câmara, teria oferecido um café da manhã para os servidores do Legislativo em homenagem ao Dia do Trabalhador. Para a Justiça Eleitoral, a homenagem, que teve custo de R$ 900, não representou nenhum dano aos cofres públicos ou ato de improbidade administrativa.

Em seu voto, a juíza relatora do caso no TRE-MG, decidiu que não houve “ato doloso de improbidade administrativa, nem se reveste do caráter de insanablidade” que possa comprometer a legitimidade da candidatura de Nardyello Rocha, que assumiu o cargo de prefeito no final de 2018, após a cassação do seu antecessor, e está definitivamente liberado para buscar a reeleição. 

Ao confirmar o registro da candidatura de Nardyello23, a juíza relatora do Tribunal Regional Eleitoral destacou que “pequenos erros formais, deficiências inexpressivas ou que não cheguem a ferir os princípios da atividade administrativa não trazem a incidência do dispositivo legal”. Insanáveis, decidiu a magistrada, “se cuidam de irregularidades graves, que decorrem de condutas em que há presença de dolo ou má-fé”, o que não ocorreu.

Nardyello Rocha comemorou mais essa vitória na Justiça Eleitoral. Ele disse que estava tranquilo e certo de que “a mentira não prospera”, lembrando que seus adversários tentaram outros artifícios para retirá-lo da disputa eleitoral em Ipatinga. “Primeiro, quiseram me cassar porque eu retomei o pagamento da complementação salarial dos aposentados da Prefeitura, mas a Justiça atestou a legalidade da nossa decisão. Agora tentaram distorcer e requentar um café da manhã de 2007, em homenagem aos servidores da Câmara, e, mais uma vez, foram barrados pela Justiça. Tentaram confundir a população, mas a verdade venceu mais uma vez”, ressaltou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui