‘Beco da Arte’ ameniza impactos psicológicos em profissionais que combatem a Covid-19 no HMEM

PUBLICIDADE

Projeto artístico transmite energias positivas e alivia tensões de servidores que atuam diariamente na linha de frente de enfrentamento à pandemia

- PUBLICIDADE -
Sesi – Senai
AAPI
Giganet
Usiminas
EXPO USIPA

Em mais uma iniciativa com o intuito de aliviar a rotina de trabalho dos profissionais da saúde que atuam no enfrentamento à Covid-19, o Grupo de Apoio Psicológico do Hospital Municipal Eliane Martins (HMEM), de Ipatinga, desenvolveu o projeto artístico denominado “Beco da Arte”. Num espaço por onde transitam habitualmente os servidores, no interior da unidade de saúde, fortes mensagens positivas são transmitidas, com utilização de recursos visuais e sonoros.

A ação é baseada na música “Enquanto Houver Sol”, composição de Sérgio Britto, um dos integrantes da banda Titãs e autor da maioria das composições do grupo. A proposta é minimizar os impactos causados pela pandemia nestes trabalhadores, preenchendo o seu ambiente de atuação com uma atmosfera contagiada por informações de ânimo e esperança. 

O sugestivo conteúdo da canção é que ditou a sua escolha como tema.  A letra fala de não perder a esperança até o último momento, mesmo que a vida esteja difícil. E o “Beco da Arte” dá voz a esta perspectiva com a transmissão de boas energias aos profissionais que desenvolvem o seu trabalho enfrentando os limites impostos pelo momento.

O trabalho envolve a interpretação da canção por um musicista, junto a imagens dos profissionais que atuam diretamente na Enfermaria e UTI Covid do HMEM. Para ilustrar a ideia, foi pedido aos profissionais da saúde que encaminhassem ao setor de psicologia fotos em situação de trabalho, que retratassem fielmente a realidade de cada um no dia a dia, desde ocasiões difíceis e preocupantes até momentos felizes e descontraídos, mesmo em um cenário diferente da conjuntura atual. À medida que as fotos iam sendo encaminhadas, telas em tamanho A3 eram confeccionadas e expostas em um espaço no corredor do HMEM, para apreciação e reflexão dos profissionais.

A psicóloga Andréa de Andrade, idealizadora do projeto, destacou a importância da iniciativa. “Recentemente, completamos um ano de combate à Covid-19, e sabemos como ela impacta negativamente na saúde mental de quem atua na linha de frente. Esperamos mais uma vez que, por meio da arte, na expressão de imagens do dia a dia dos profissionais do HMEM nas diversas situações de trabalho, possamos contagiar positivamente as equipes e gerar na medida do possível um ambiente mais ameno em meio a esta terrível pandemia”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui