Covid: Prefeitura de Ipatinga inicia pelas feiras nova campanha de conscientização

Fiscais do Departamento de Regularização Urbana estiveram na Feira do Canaã neste domingo, atuando desde as 3h da madrugada
PUBLICIDADE

Bares são o alvo principal de novas ações de fiscalização

- PUBLICIDADE -
AAPI
Câmara Ipatinga
FSFX
Unimed Vale do Aço
Usiminas
Sesi – Senai
Giganet
Copasa
SVA
PMI VACINAÇÃO

A Prefeitura de Ipatinga vem adotando uma série de medidas para combater a disseminação do Coronavírus, entre elas a readequação das feiras livres do município. No último domingo (17), fiscais da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), com o apoio da Polícia Militar, estiveram na Feira do Canaã orientando os feirantes para que cumpram as regras específicas estabelecidas para o enfrentamento da pandemia. 

Fiscais do Departamento de Regularização Urbana que estiveram no local neste domingo, desde as três horas da madrugada, direcionaram os comerciantes a realizarem o alargamento dos corredores de passagem para minimizar focos de aglomeração. Segundo o secretário da Sesuma, Célio Andrade, “a fiscalização municipal está fazendo um trabalho técnico e sério no sentido de manter as feiras em pleno funcionamento. Mas é importante que os proprietários de barracas façam a sua parte para que suas atividades não sofram prejuízo de interrupção ou haja necessidade de notificações, impondo novos sacrifícios aos feirantes e significando eventualmente a limitação da frequência pelo público”, explicou o secretário. 

A linha de atuação do governo municipal em relação ao comércio já foi explicitada pelo prefeito Gustavo Nunes: todo cuidado com a prevenção à covid-19, com lançamento, nos próximos dias, de uma campanha de conscientização em massa junto aos estabelecimentos, para que a economia local não sofra novos abalos e as famílias possam garantir o seu sustento. Entretanto, o simples anúncio quanto às perspectivas de aplicação da vacina, no último final de semana, já provocou um relaxamento de muitos, que deixaram de praticar os hábitos preventivos mais básicos, como usar máscaras, manter distanciamento e higienizar as mãos. Abusos têm sido identificados sobretudo nos bares, impondo riscos à saúde pública, diante disso a ação conscientizadora e fiscalizadora do poder público deve ser ainda mais intensa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui