Domingo é dia de Jazz Fusion 

81

Música experimental é atração da agenda cultural de bar ipatinguense

Jazz, Choro e Samba Raiz estão entre as principais atrações dos domingos do Beco, bar e espaço multicultural localizado no Horto.  No próximo dia 5 de setembro, o palco será consagrado ao Jazz Fusion, especialista em um som experimental e irreverente norteado pelos samplers do sintetizador do tecladista Leandro Martins e pela bateria do Cortezão.
Segundo o produtor cultural e proprietário do ponto, Rodrigo Souza, a programação integra o conjunto de ações focadas no fortalecimento da cena da música instrumental no Vale do Aço. “Percebemos que há uma demanda por casas que abram suas portas para uma diversidade maior de gêneros musicais, como a instrumental, normalmente restrita a cerimônias ou projetos culturais patrocinados por leis de incentivo à cultura.”

Rodrigo observa que esse projeto do Beco precisou ser pausado por um longo período em função da pandemia. “A crise sanitária afetou muito a cadeia de produções culturais ligadas às apresentações ao vivo. Com isso, músicos se ausentaram por mais de um ano dos palcos. Agora, com o avanço da vacinação por todo o Vale do Aço e por todo o país, pudemos retomar esse projeto de música ao vivo, trazer para o Beco artistas virtuosos que tradicionalmente se apresentam mais em teatros”.

Rodrigo destaca que toda a programação desenvolvida no espaço multicultural é desenvolvida em conformidade com os  protocolos de prevenção ao contágio do coronavírus.
ATRAÇÕES
Nos últimos quatro meses, artistas consagrados da região têm se apresentado no Beco. O músico e produtor musical Rubim do Bandolim, produtor do álbum do grupo Choro do Vale e participante de outros projetos também importantes, tem lugar garantido na programação mensal da casa. O grupo Quarteto Sem Dono, formado por Juscimar Gonçalves, no saxofone; Marcony Carvalho, no teclado; Ramon Soares, na bateria, e sempre contando com um ou dois convidados, também tem lugar cativo no que Rodrigo chama “calçada da fama do Beco”. O jazz do Triato, composto pelo guitarrista Plínio Fonseca; pelo baixista Dinho Valeriano, e pelo baterista Bruno Souza, pelo menos duas vezes por mês também se apresentam no estabelecimento e sempre convidando um músico para ampliar o grupo, entre eles o multiinstrumentista e vocalista Douglas Netto.
Além do bar e da música, o Beco mantém uma galeria de artes no segundo andar do prédio, onde está em cartaz uma série de trabalhos inspirados em monstros que buscam retratar o que assombrou as pessoas em meio à pandemia, expondo a vulnerabilidade humana e a necessidade de se cultivar a empatia, a solidariedade. A mostra coletiva, batizada como Raízes Expostas, é resultado de percepções individuais. Rodrigo observa que, “a exposição é um convite para o público mergulhar num universo de sentimentos profundos e ocultos, como as raízes que dão vida às árvores. Cada experiência individual pode ser contemplada separadamente e sugerir infinitas leituras a partir da visão conjunta da mostra”.
SERVIÇO
Jazz Fusion e exposição artística. Domingo, dia 5 de setembro, no Beco. Entrada franca.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui