Estudantes e professores de medicina reforçam rede de atenção à saúde em Ipatinga

PUBLICIDADE

Termo de cooperação foi assinado pelo secretário de Saúde, Juliano Nogueira, secretário de Administração, Matheus Braga e pelo diretor da UNIVAÇO, Vinícius Lana. 

- PUBLICIDADE -
Sesi – Senai
Unimed Vale do Aço
Usiminas
AAPI
SVA
Câmara Ipatinga
FSFX
Giganet
Copasa
PMI VACINAÇÃO

A Prefeitura de Ipatinga assinou nesta quarta-feira (3), por meio das Secretarias Municipais de Administração e Saúde, um termo de cooperação técnica com a Faculdade de Medicina do Vale do Aço (Univaço), que representa importantes benefícios para a comunidade. A parceria firmada com a instituição educacional vai garantir tanto o aperfeiçoamento dos atendimentos na rede pública de saúde quanto proporcionar aos graduandos do curso de Medicina um aprendizado curricular e extracurricular em ambientes reais de trabalho. 

Os estágios extracurriculares poderão ser realizados em toda rede assistencial do SUS no município (Hospital Municipal, Serviço de Atendimento Móvel de urgência – SAMU, Unidade de Pronto Atendimento – UPA, Unidades Básicas Saúdes (UBSs), dentre outras), e sempre acompanhados de um professor da faculdade, de acordo com as demandas prioritárias da Secretaria de Saúde.

“A celebração deste convênio com a Prefeitura de Ipatinga é algo muito significativo para nossa instituição, pois, além de cumprirmos o papel social de ajudar o município na assistência à saúde, oportuniza a inserção de quase 700 alunos do curso de Medicina na rede, possibilitando uma formação qualificada e permanente”, destacou o diretor da Univaço, Vinícius Lana.   

O secretário de Administração de Ipatinga, Matheus Braga, também ressaltou a relevância da parceria, especialmente por produzir efeitos positivos na área da saúde, um dos principais gargalos das Administrações Públicas: “além de não onerar o município, a assinatura deste termo de cooperação com a Faculdade de Medicina do Vale do Aço representa a inserção de um número substancial de estudantes e professores na rede pública, reforçando a nossa capacidade de resposta à coletividade, contribuindo para diminuir a demanda reprimida dos atendimentos na área”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui