Fabriciano faz novo levantamento do índice de infestação do Aedes Aegypti

Em paralelo ao LIRAa, os agentes da Prefeitrura fazem bloqueio nos bairros com maiores índices de infestação
PUBLICIDADE

A Prefeitura de Coronel Fabriciano, por meio da gerência de Atenção em Saúde, da Secretaria de Governança da Saúde, realiza de segunda (8) até quinta-feira (11), um novo LIRAA – Levantamento do Índice Rápido de Aedes Aegypty, transmissor da dengue, zika e Chikungunya. É o segundo levantamento do ano que visa verificar o índice de infestação do mosquito em todas as regiões da cidade e assim, planejar ações pontuais onde o perigo for maior.

- PUBLICIDADE -
Usiminas
EXPO USIPA
AAPI
Giganet
Sesi – Senai

No primeiro levantamento do ano, feito entre 8 e 12 de fevereiro, foi constatado índice de infestação de 1,7%, considerado médio risco de transmissão, mas que exige atenção das autoridades de saúde. O satisfatório é abaixo de 1%. Por isso, as equipes de agentes de endemias entrarão novamente em ação. Neste período chuvoso, é comum a água se acumular em objetos deixados ao ar livre, o que favorece a procriação de larvas que irão se transformar em mosquitos.

Veja os índices por bairro conforme o último levantamento nas áreas mais infestadas:

 

  • Federico Ozanan – 11,7%
  • Silvio Pereira I – 7,3%
  • Contente – 5,8%
  • José da Silva Brito – 5,3%
  • Córrego Alto e Surinan – 5%
  • Manoel Domingos – 4,8%

Nestes bairros, o perigo é real e a prefeitura já reforçou a prevenção com ações de bloqueio de transmissão por meio da limpeza dos quintais e pulverização de inseticidas com borrifadores costais. 

Os criadouros de mosquito mais comuns segundo o levantamento são: 

  • Pneus velhos – 18,5%
  • Vasos de flor – 15%
  • Caixas d’ água abertas – 12,5%
  • Bebedouros de animais – 12,5%
  • Latas – 6,2%
  • Vasos sanitários – 6,2%
  • Ralos, calhas e tonéis – 3%

 

A Gerente de Vigilância em Saúde, Danielle Marise, ressalta a importância do apoio dos moradores para que facilitem a entrada dos agentes e promovam diariamente o combate às arboviroses.  “Vistorie a sua casa e promova a limpeza do seu quintal. É assim que eliminamos os focos e deixamos a cidade sem arboviroses”, recomenda.

O que se deve fazer?

  • Sempre que possível, esvaziar e escovar as paredes internas de recipientes que acumulam água.
  • Manter fechadas cisternas, caixas d’água e reservatórios, como tambores e barris.
  • Não deixar pneus ao ar livre
  • Guardar latas e garrafas com a boca para baixo
  • Limpar periodicamente, calhas, marquises e rebaixamentos de banheiros e cozinhas, não permitindo o acúmulo de água.
  • Jogar quinzenalmente desinfetante nos ralos externos e nos internos pouco utilizados.
  • Drenar terrenos onde ocorra formação de poças.
  • Não acumular latas, pneus e garrafas.
  • Encher com areia ou pó de pedra poços desativados ou depressões de terreno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui