Fabriciano garante R$ 3 milhões junto ao Ministério da Infraestrutura para reconstrução do viaduto no trevo da cidade

_PLANEJAMENTO_Os recursos para reconstrução do viaduto foram assegurados pelo Ministro Infraestrutura ao prefeito Dr. Marcos Vinicius
PUBLICIDADE

Projeto prevê a elevação da altura e ampliação de pistas do viaduto; Em contrapartida, Prefeitura vai assumir trecho da BR 381 e investir R$ 1,3 milhão na obra 

 

- PUBLICIDADE -
Sesi – Senai
AAPI
Giganet
Usiminas

A Prefeitura de Coronel Fabriciano deu um importante passo na luta pela reconstrução do Viaduto Pastor Pimenta, na Avenida Tancredo Neves e sobre a Avenida Magalhães Pinto – trevo da cidade. Na terça-feira, 10/8, o prefeito Dr. Marcos Vinicius reuniu-se com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e obteve a garantia do investimento de R$ 3 milhões para realização das obras junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT). A contrapartida do município será de R$ 1,3 milhão. 

 

A reunião aconteceu em Brasília (DF). Na ocasião, também foi acordado que será celebrado um convênio de transferência e delegação do trecho da BR-381 (Avenida Tancredo Neves) ao município. A municipalização do trecho era uma das condicionantes do governo federal para a liberação do recurso e já era reivindicada pela Prefeitura há mais de cinco anos. Também participaram da reunião os deputados estaduais Tito Torres (PSDB) e Celinho do Sinttrocel (PCdoB); deputados federais Domingos Sávio (PSDB) e Hercílio Diniz (MDB) e o suplente de senador Alexandre Silveira, atual presidente do PSD-MG e diretor de assuntos técnicos e jurídicos do Senado. 

 

O prefeito Dr. Marcos Vinicius comemora a conquista. “É uma ótima notícia não só para Coronel Fabriciano como para o Vale do Aço. Com o apoio dos deputados estaduais e federais que representam a nossa região e também do diretor do Senado, Alexandre Silveira, vamos conseguir realizar uma obra importante e definitiva para resolver um problema que se arrasta por décadas”, disse. 

 

O deputado Domingos Sávio destacou o trabalho em equipe e empenho do prefeito para assegurar os recursos necessários para a obra.  “Eu e o Dr. Marcos Vinicius estivemos, por diversas vezes, junto ao DNIT e ao Ministério de Infraestrutura para resolver esta questão. É o final feliz de uma novela com o trabalho de uma equipe em prol de Fabriciano e Vale do Aço. E a prefeitura de Fabriciano vai assumir o trecho e completar com recursos próprios para executar esta importante obra”, disse. 

 

Alexandre Silveira, disse estar satisfeito com o resultado da reunião e poder colaborar com a pauta. “Hoje estou aqui representando o presidente do Senado (Rodrigo Pacheco) e me alegro por trabalhar de forma sinérgica com os deputados, que são atuantes em favor dos interesses de Minas Gerais e região, e com o competente prefeito Dr. Marcos Vinicius para celebrar este convênio e assegurar os recursos para esta obra”, conclui destacando que a licitação é aguardada para os próximos dias. 

 

PROJETO APROVADO

A proposta elaborada pelo município – já enviada ao DNIT – contempla o alargamento das vias inferior (com abertura de 2 novas pistas na Magalhães Pinto – uma para cada sentido) e uma terceira pista na superior (1 pista extra no sentido Fabriciano-Timóteo, na Tancredo Neves) e elevação da altura do gabarito para 5 metros. A obra tem o custo estimado em R$ 4,3 milhões. O projeto do município considerou ainda que o viaduto integra a malha viária urbana, e está localizado num ponto de ligação entre os bairros e Centro, necessidade de melhorias no ponto de estrangulamento do tráfego no local.

 

O projeto estrutural custou R$ 80 mil e contempla todas as variantes deste tipo de obra, com topografia, sondagem, cálculos estruturais, planilha de custos, estudo de tráfego e a licença ambiental. 

 

REIVINDICAÇÃO ANTIGA

Desde 2017, a atual gestão municipal tenta viabilizar, junto ao órgão federal, a reconstrução do viaduto para permitir o tráfego de caminhões de grande porte ainda feito dentro da cidade e, o mais importante, assegurar a segurança da população. O viaduto, que foi construído na década de 60, tem 3,6 metros de altura e está com a estrutura em risco devido aos veículos de grande porte que acabam “entalando” na estrutura. A norma exigida pelo DNIT é que a altura seja de no mínimo 4,5 metros, parâmetro que já estava em vigor na década de 60.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui