HMVA promove treinamento de capacitação em técnicas de limpeza hospitalar

O acúmulo de sujeira e pó aumentam o risco de algumas doenças, como alergias e infecções. Por outro lado, dentro de uma unidade de saúde, o planejamento adequado, a
organização e a execução de processos bem delimitados, resultam em um ambiente confortável e seguro aos pacientes. Isso só é possível com a limpeza hospitalar.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), são realizados, a nível mundial, mais de 200 milhões de operações. Deste total, cerca de um milhão de pacientes morrem em decorrência de infecções hospitalares. No Brasil, a taxa de infecção hospitalar chega a 14%.

Promover a segurança do paciente é um ponto importante para a gestão do Hospital Metropolitano Vale do Aço (HMVA), que adota ações voltadas para a redução de riscos no cuidado com a saúde, assegurando o bem-estar de quem utiliza e se beneficia dos serviços do hospital. Para isso, devem ser seguidas uma série de recomendações que incluem desde a qualidade dos produtos utilizados até a capacitação da equipe que realiza a limpeza.

Após a internalização do serviço, a nova equipe de higienização e limpeza do HMVA recebeu na última semana, um treinamento de capacitação em Técnicas de Limpeza Hospitalar. A ação ocorreu após a capacitação de Noções de Biossegurança e Medidas de Precaução, ministrada pelo Serviço de Controle e Infecção Hospitalar (SCIH) da unidade.

Segundo Adeniz Macedo, gerente de Hotelaria do HMVA “o treinamento tem como objetivo capacitar os colaboradores que executam as atividades de limpeza dentro das técnicas exigidas pela Vigilância Sanitária e Ministério da Saúde. São treinamentos baseados em técnicas de higienização hospitalares validados pelo SCIH”.

A gerente ainda ressaltou algumas diferenças entre coordenar uma equipe terceirizada e uma própria: “capacitar nossos colaboradores é cada vez mais regular em nosso quadro.
Nós respondemos por todas as necessidades do cliente na abordagem da higienização e exigência de cumprimentos de normas e resoluções técnicas. Administrar uma equipe própria tem diversos desafios, porque todas as suas atribuições e responsabilidades são internalizados também”, ressalta.

Para a profissional há uma contrapartida importante nesta internalização, que é o domínio de todo o processo. “Coordenar desde a contratação, capacitação, acompanhamento do colaborador na área, das evidências e avaliações de eficácia, é muito importante para o controle de qualidade dos serviços”, destacou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui