Presidente da Usiminas comenta cenários da siderurgia

51

Em reunião on-line promovida nessa quinta-feira (08/04), pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), o presidente da Usiminas, Sergio Leite, apresentou um panorama da siderurgia mundial, do país, e da própria companhia. Na avaliação do executivo, tanto o mercado global quanto o brasileiro enfrentam grandes desafios, como uma grande capacidade ociosa e uma alta concentração de mercado na China, mas também de oportunidades. No Brasil, segundo ele, temos um importante potencial de crescimento no consumo de aço, mas, para torná-lo realidade, é fundamental uma agenda de iniciativas do governo e a modernização da economia.

“Demanda de aço e crescimento econômico andam juntos e no Brasil o consumo per capita está estagnado há mais de quatro décadas. Para captar o potencial extraordinário que temos em áreas como óleo e gás, ferrovias etc., precisamos adotar medidas urgentes como a implementação da agenda de reformas do governo, em particular as reformas tributária e fiscal; aprimorar os marcos regulatórios – sejam para aumento da demanda ou da competitividade da indústria brasileira; promover a isonomia competitiva do país e garantir a competitividades das exportações para produtos manufaturados”, avalia.

- PUBLICIDADE -

Sobre a Usiminas, Sergio Leite destacou os recentes resultados obtidos pela companhia no ano passado, após um período de adoção de diversas medidas de adequação aos impactos da pandemia. Entre outras conquistas, a companhia fechou o ano passado com um Ebitda Ajustado Consolidado de R$ 3,2 bilhões, uma elevação de 62% em relação ao ano anterior, o melhor resultado em doze anos. O presidente comentou ainda os ganhos e o aprofundamento da companhia nos temas da agenda ESG, sigla em inglês para Governança Ambiental, Social e Corporativa, composta por uma série de iniciativas ambientais e sociais por parte das empresas e que se tornam cada vez mais decisivas no mercado global de aço.

“A Usiminas tem uma atuação social sólida, iniciada ainda na fase de sua implantação na região onde é hoje a cidade de Ipatinga. Além de diversas iniciativas próprias, atua por meio da Fundação São Francisco Xavier e do Instituto Usiminas nas áreas de Saúde, Educação, Cultura e Esporte, fazendo a diferença na vida de milhares de pessoas. E continuamos avançando também na agenda ambiental, como mostram os recentes investimentos feitos na Usina de Ipatinga, o desenvolvimento de metas e indicadores corporativos de sustentabilidade, entre tantas outras ações”, afirma. Mais um passo importante na agenda sustentável da companhia, segundo Leite, será dado inclusive já na próxima quarta-feira, quando a Usiminas assina formalmente sua adesão ao Pacto Global da ONU.

A reunião do Ibram teve a presença do presidente do Instituto Aço Brasil, Marco Polo Lopes; de Flávio Ottoni Penido e Wilson Brumer, respectivamente diretor-presidente e presidente do Conselho do IBRAM, além de conselheiros, diretores e associados à entidade. Na ocasião, foram discutidos, entre outros assuntos, a criação de uma agenda conjunta envolvendo os setores de Siderurgia e Mineração, dois dos principais segmentos econômicos do Estado. A proposta é superar os desafios atuais de maneira a continuar com o desenvolvimento socioeconômico e sustentável do país no longo prazo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui