Secretaria de Saúde realiza mutirão contra dengue em Ipatinga

PUBLICIDADE

Iniciada nesta quarta-feira (27), no bairro Esperança, ação do Centro de Controle de Zoonoses mobilizou 127 Agentes de Combate a Endemias

- PUBLICIDADE -
Sesi – Senai
Câmara Ipatinga
PMI VACINAÇÃO
AAPI
FSFX
Usiminas
Copasa
Unimed Vale do Aço
SVA
Giganet

Em função do cenário epidemiológico já delicado quanto à transmissão da Covid-19, que persiste em todo o Brasil, Ipatinga está em alerta para conter os focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti, precavendo-se para evitar surtos de dengue, zika, chikungunya e febre amarela, já que os picos destas doenças normalmente acontecem entre os meses de março e maio. Nesta quarta-feira (27), Agentes de Combate a Endemias (ACEs) iniciaram visitação a domicílios pelo bairro Esperança. Em média 1800 casas estão sendo visitadas por dia. 

O trabalho prioriza os núcleos habitacionais que apresentaram números mais preocupantes no recente Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), realizado na primeira semana de janeiro. As equipes foram divididas por quadras, e as primeiras ações estão acontecendo nos bairros Esperança, Ideal e Vila Celeste. 

Além da aplicação do larvicida em potenciais criadouros, com o objetivo de controlar e prevenir o aparecimento de larvas, os agentes também orientam a população quanto aos cuidados para evitar a proliferação e os sintomas da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. 

Se nos locais que se enchem de água já existirem ovos do Aedes aegypti, eles ficam novamente ativos, evoluindo para o estágio de larvas, que se transformarão em mosquitos. O calor acelera o ciclo do mosquito, de ovo a adulto, que ocorre em menos dias, contribuindo para aumentar a sua população. Da mesma forma o calor também acelera a multiplicação do vírus dentro do mosquito. Com isso, no verão uma fêmea do mosquito infectada tem mais chances de transmitir a doença antes de morrer.

De acordo com Samela Iglesias Campos Reis, diretora de Vigilância em Saúde, um dos principais objetivos da ação é conscientizar a população sobre os perigos oferecidos pelo mosquito transmissor das doenças. Além da ação intensiva dos ACE’s, já iniciada, o apelo é para que a população contribua por meio de medidas simples, como o descarte correto dos materiais que podem acumular água parada.

Samela destacou ainda a importância da união de todos na luta contra o Aedes aegypti: “Quero agradecer a todos que estão se comprometendo com esta ação e também aos moradores das residências visitadas. As equipes da Saúde estão exercendo com dedicação o seu papel. No entanto, só venceremos essa luta contra o mosquito com a ajuda de toda comunidade”, concluiu. 

As medidas de controle vão acontecer em todos os bairros do município, seguindo cronograma traçado pela Secretaria de Saúde. 

MEDIDAS PARA COMBATER A DENGUE

Para vencer as doenças geradas pelo Aedes aegypti, todos têm que colaborar. A orientação básica é manter os quintais limpos e estar atento também quanto aos perigos sinalizados na vizinhança. 

Alguns cuidados essenciais são:


– Manter a caixa d’agua com a tampa completamente vedada 

– Retirar a água acumulada na laje

– Manter as calhas desentupidas

– Guardar em locais secos e abrigados da chuva pneus velhos e outros objetos que possam acumular água

– Lavar semanalmente, com escova, a parte interna dos tanques utilizados para armazenar água
– Não usar pratos nos vasos de plantas
– Colocar latas, tampas de garrafas, cascas de ovos e outras embalagens vazias em sacos plásticos bem fechados, antes de descartá-los. 

– Manter os sacos de lixo fora do alcance de animais até o recolhimento. 

– Manter os ralos vedados e desentupidos
– Trocar, semanalmente, a água dos vasos com plantas aquáticas e lavar a parte interna com escova

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentario!
Por favor, escreva seu nome aqui